quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Consumo consciente da energia elétrica

real dinheiro papel moeda
Olá amigos e iluminados leitores do Bog do Gilson Eletricista.

Este é um antigo post de 2012.

Ele continua valendo.

Só irei atualizar algumas datas e índices de aumento.


No Rio de Janeiro - Brasil - a Light reajustará a conta de luz de milhões de consumidores em 35% a partir de 
Janeiro de 2015.

Para os consumidores residenciais, o aumento na conta de luz será de 24%.

A energia elétrica é um recurso valioso, cujo consumo deixou de ser uma questão econômica, adquirindo proporções socioambientais no mundo todo.

Hoje, quando falamos em economizar energia não estamos nos referindo, apenas, aos Reais a menos na conta no final do mês, mas no futuro que pretendemos deixar para nossos netos.

Por isso, mais do que nunca, devemos rever nossos hábitos e aprender novas formas de utilizar a energia a nosso favor, fomentando o desenvolvimento da nossa sociedade, mas também contribuindo para que o meio-ambiente e a sociedade como um todo também sejam beneficiados.

Eficiência e sabedoria
Algumas sábias mudanças no nosso dia-a-dia podem  contribuir para que a energia elétrica seja consumida de forma eficiente, evitando o desperdício.

Precisamos compreender que também é responsabilidade de cada indivíduo preservar o amanhã.

Um bom começo é implementar mudanças com relação ao consumo de energia dentro de sua casa.

Pequenas atitudes contribuem para fazer grandes mudanças !

O quê eu preciso fazer para otimizar o consumo de energia na minha casa ?
O primeiro passo, como já foi dito, é mudar velhos hábitos.

O maior problema quando o assunto é economia de recursos é a falha de interpretação da maioria das pessoas que confundem economia com privação - seja de energia ou de dinheiro, por exemplo.

O que é preciso entender é que economizar energia não significa que você terá de abdicar de assistir o seu programa televiso preferido ou viver na escuridão.

Basta começar eliminando alguns excessos, como deixar o aparelho de Tv ligado mesmo quando não há ninguém assistindo ou ligar o chuveiro elétrico muito antes de ir tomar banho, por exemplo.

Os hábitos devem ser mudados, enfatiza Edson Martinho, consultor técnico do Procobre e do Programa Casa Segura.

- Desligar equipamentos que não serão usados, como televisor e lâmpadas;

- Fazer uso da luz natural;

- Implementar melhorias de desempenho de equipamentos, como geladeiras e outros eletrodomésticos, também ajudam a economizar energia;

- Priorizar o uso de equipamentos em bom estado, revisados e com o selo Procel (Programa de Combate ao Desperdício de Energia Elétrica), também são práticas que podem fazer a diferença.

O uso da tecnologia vem em função do aumento de conforto e segurança que o ser humano busca para si e sua família e, com isso, ele paga mais.

Entretanto, é necessário que os equipamentos sejam escolhidos de forma que possam ser eficientes, como é o caso de alguns eletrodomésticos etiquetados com o selo do Procel.

Esta prática já garante uma economia.

Uma revisão periódica na instalação elétrica, para verificação de aquecimento dos fios, por exemplo, também é uma forma de  minimizar as perdas de energia.

Inclusive, há casos reais de economia de energia de até 20% com a reforma da instalação elétrica de uma residência.

17 atitudes que podem fazer a diferença para o seu bolso e para o planeta:
Faça um bom projeto.
Se você ainda está pensando em construir ou reformar o seu imóvel, este é o momento ideal para implementar uma série de mudanças que poderão reverter em economia de energia no futuro.

A primeira é investir em um bom projeto arquitetônico e de elétrica.

O primeiro poderá definir tópicos como maior incidência de iluminação natural e ventilação cruzada, por exemplo.

O segundo, como você já viu, irá traduzir em conduítes, disjuntores, tomadas e interruptores para todas as necessidades da sua família.

Mais uma vez, vale a pena insistir: mesmo falando em economia de energia, a dica é ¨Não economize em materiais de boa qualidade e mão-de-obra especializada¨.

Faça manutenções  periódicas.
Lembrando: depois dos dez primeiros anos de uso ou assim que você entrar para morar em um imóvel usado, recomenda-se fazer uma grande revisão de toda a fiação elétrica.

Depois, faça revisões periódicas de manutenção e adequação da rede elétrica a cada cinco anos.

Este cuidado é importante para garantir a prevenção de possíveis ¨fugas de corrente¨ ou inadequações na rede que possam acontecer.

Não sobrecarregue a rede elétrica.
Evite, ao máximo, o uso de benjamins.

Este recurso contribui ´para sobrecarregar a rede elétrica, podendo, inclusive, oferecer risco de incêndio.

Se precisar utilizar benjamim, restrinja o uso a apenas um por tomada com, no máximo três aparelhos conectados a ele, e de pequeno consumo elétrico.

Chuveiro elétrico.
Ao optar por instalar chuveiro elétrico no seu banheiro, tenha consciência de que já estará tomando banhos mais caros.

Uma alternativa são os chuveiros aquecidos a gás ou energia solar.

Entretanto, mesmo utilizando chuveiros elétricos é possível economizar.

Nos dias mais quentes, ajuste a chave seletora do chuveiro, mudando-a para a posição Verão.

Com esta simples mudança você já estará consumindo cerca de 30% menos energia.

Evite banhos longos.

Cinco minutos são suficiente para uma boa higiene.

De acordo com recomendações da ONU (Organização das Nações Unidas), cada pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender às necessidades de consumo e higiene.

Se você tomar um banho de 15 minutos, estará gastando cerca de 243 litros de água em um só banho, mais do que o dobro da recomendação diária.

Limpe regularmente os orifícios de saída de água no espalhador do chuveiro.

Com esta medida, você melhora a vazão da água e economiza energia.

Quando estiver com pressa, experimente o banho de dois estágios:
1 - Molhe-se e depois feche a água, enquanto se ensaboa e passa o xampu.
2 - Abra a água e se enxágue.

Este procedimento também economiza água.

Nunca reaproveite uma resistência queimada, pois, além de provocar o aumento do consumo de energia, você coloca em risco a sua segurança e a de sua família.

Ferro elétrico.
O ferro elétrico consome mais energia para aquecer.

Sendo assim, a dica é acumular as roupas e passá-las de uma só vez.

Também é recomendável evitar ligar o ferro quando muitos outros aparelhos elétricos estiverem funcionando, a fim de não sobrecarregar a rede elétrica.

Outro truque para as donas de casa: passe os tecidos delicados depois de desligar o ferro, aproveitando apenas o calor do aparelho.

Já se você estiver pensando em comprar um ferro novo, saiba que os modelos à vapor são mais econômicos.

E não se esqueça: sempre que precisar interromper o serviço, desligue o ferro.

Climatização.
Vale a pena repetir: um bom projeto arquitetônico pode prever um sistema de ventilação e aquecimento natural, diminuindo a necessidade do uso de equipamentos para este fim.

Quando você for comprar aquecedores, ventiladores ou aparelhos de ar-condicionado, fique atento a três fatores:

- Se o aparelho é certificado com o selo Procel;

- A escolha do aparelho deve ser feita com base na metragem do cômodo e no número de usuários;

- Ventiladores de teto são mais econômicos que aparelhos de ar-condicionado.

Se, mesmo assim, você optar por aparelhos de ar-condicionado, lembre-se de que eles devem ser instalados em locais com boa circulação de ar.

Durante seu uso, mantenha as portas e janelas fechadas.

Além disso, estes equipamentos exigem uma manutenção regular, especialmente com relação à limpeza dos filtros de ar, grandes causadores de alergias e problemas respiratórios, devido ao acúmulo de sujeira que dificulta a passagem do ar e sobrecarrega o compressor, aumentando, inclusive, o seu consumo energético (mantê-los sempre limpos garante a economia de cerca de 160 Kg de CO² por ano).

Torneira elétrica.
Assim como no caso do chuveiro elétrico, use a torneira elétrica apenas quando necessário, mas procure ensaboar toda a louça antes de ligá-la.

Iluminação.
Como você viu, um bom projeto arquitetônico também pode trazer economia de energia, ao priorizar a utilização máxima de luz natural.

Portanto, a dica básica é, sempre que possível, abra as janelas e aproveite a iluminação natural.

De quebra você contribui para arejar os ambientes e dar mais vida a sua casa !

Outras dicas para reduzir o consumo são:
- Utilizar cores claras e frescas nas paredes.

Dessa forma, você estará contribuindo para que a luz seja refletida na parede, dispensando o uso de lâmpadas de alta potência.

- Limpar regularmente as lâmpadas, luminárias e lustres.

Saiba que o acúmulo de pó diminui o nível de iluminação.

Por este motivo, até mesmo as lâmpadas devem ser limpas regularmente.

- Opte por lâmpadas Leds.

Além de mais econômicas, as Leds iluminam tanto quanto as incandescentes, fluorescentes e também possuem diferentes tonalidades de cor (IRC - Índice de Reprodução de Cor).

- Utilize lâmpadas compatíveis com a Tensão elétrica da rede, pois as de tensão menor duram menos e queimam com facilidade.

- As Leds funcionam com tensões de 100 a 240 volts e duram 10 anos.

- A escolha correta do tipo de iluminação em cada ambiente também pode representar estratégias para o consumo eficiente de energia.

Por exemplo, em locais destinados à leitura ou trabalhos manuais, opte por uma iluminação dirigida, de maior potência.

Já para usar o computador, a dica é a iluminação indireta.

- A iluminação externa também exige cuidados.

Células fotoelétricas são ideais, já que desligam-se automaticamente de acordo com a luminosidade do dia.

Outra opção são as lâmpadas de vapor de sódio que, quando comparadas com as de mercúrio, apresentam grande poder de iluminação além de consumir menos energia.

- Refletores Leds de alta potência são mais eficientes, econômicos e duram 10 anos.

Geladeira e Freezer.
Estes aparelhos podem responder por 30% do consumo de luz.

Portanto, o primeiro passo para a economia deve ser dado antes mesmo da compra do produto, optando sempre por aqueles certificados com o selo Procel.

- Geladeiras com tecnologia Inverter são mais caras, porém a economia será imensa.

Escolher o local onde serão instalados estes equipamentos também faz a diferença.

O ideal é colocá-los em locais ventilados, porém ao abrigo do sol e longe do calor do fogão.

Certifique-se de deixar vãos  de, pelo menos, 15 cm nas laterais, acima e abaixo do aparelho, principalmente se você irá embuti-lo.

O termostato deve ser regulado sempre: além da quantidade de alimentos dentro da geladeira, deve ser levado em conta a estação do ano.

Manter a temperatura abaixo de 5 ou 6 ºC aumenta o consumo energético em 7%.

Mantenha o equipamento limpo e revisado.

Uma dica é fazer o teste do papel: passe um pedaço de papel: passe um pedaço de papel entre a borracha da porta da geladeira.

Se ele deslizar pela borracha, com a porta fechada, é sinal de que está na hora de trocá-la.

Outra dica importante para as donas de casa é evitar forrar as prateleiras do refrigerador, pois estará contribuindo para evitar que o ar frio circule livremente por todo o aparelho.

Também é importante deixar os alimentos quentes esfriarem naturalmente, antes de levá-los à geladeira.

Evite abrir a geladeira com muita frequência.

Descongele o refrigerador regularmente, já que as camadas de gelo impedem a circulação do ar frio, consumindo mais energia.

Pode parecer até cena de desenho animado, mas vale a pena lembrar: nunca utilize a parte traseira da geladeira para secar panos, calcinhas, cuecas, meias e toalhas.

Cozimento de alimentos.
Se você adquirir o hábito de  tampar as panelas durante o cozimento estará não apenas o tempo de preparo, mas também a energia (cerca de 30% de economia).

Televisão.
Aparelhos de Tv não são considerados ¨Vilões¨de consumo de energia.

Na verdade, seu consumo é relativamente baixo.

O problema é o mau hábito das pessoas que deixam este aparelho ligado mesmo quando ninguém o está assistindo.

Além disso, os equipamentos mais novos, certificados com o selo Procel, consomem menos energia que os aparelhos mais antigos.

Evite o ¨Stand By¨.
Quando não estiver usando seus aparelhos eletrônicos, tire-os da tomada.

Cerca de 5% da energia utilizada em residências (e que corresponde à emissão de 18 milhões de toneladas de CO² na atmosfera por ano) é consumida para manter aparelhos em modo Stand By.

Em casa, geralmente aparelhos como Tvs e DVDs frequentemente ficam ligados o ano todo em Stand By e alguns deles nem sequer são usados no mesmo período.

Portanto, além de se informar sobre o consumo de energia destes produtos quando estão ligados, vale a pena pesquisar também o consumo em Stand By.

Atento a essa questão, o Inmetro estará divulgando, nos próximos meses, o gasto de energia em Stand By da chamada Linha Marrom (televisão e equipamentos de áudio e vídeo) por meio de etiquetas como as que já existem para aparelhos com geladeira e ar-condicionado.

E a recomendação de retirar os aprelhos da tomada quando não estão em uso vale, inclusive para carregadores de laptop e celular, que gastam energia mesmo que não estejam conectados a nenhum aparelho.

Celular.
E por falar em carregadores de celular, antes de utilizá-los, leia atentamente o manual de instruções que acompanha o seu aparelho e certifique-se do tempo necessário para carregar completamente a carga do seu celular.

Procure não exceder o tempo estipulado.

Computador e impressora.
Computadores são aparelhos que entraram na vida doméstica há poucos anos, mas que já são praticamente ¨indispensáveis¨.

Entretanto, ao contrário do que muitos pensam, não é recomendável ficar desligando e ligando o computador sempre que você sair da frente dele - a não ser que você for ficar mais de 30 minutos sem usá-lo.

Isto porque o processo de acionamento e desligamento dispende muita energia e pode até diminuir a vida útil do computador.

Já o monitor é responsável pela maior parte da energia gasta com o seu computador, por isso, vale a pena sim, desligá-lo quando for dar uma pausa.

E mais: os monitores de cristal líquido (LCD) consomem metade da energia gasta pelos monitores tradicionais (Tubo).

Atualmente todas as Tvs e monitores com tecnologia Led.

Impressoras , copiadoras e secretárias eletrônicas devem ser ligadas somente quando necessário.

Permanecer em Stand By consome muita energia.

Quando o assunto é economia, as impressoras de jato de tinta consomem menos energia que as impressoras a Laser

Máquina de lavar.
Procure ligar a sua máquina de lavar roupas ou louças somente quando juntar a quantidade  de peças para usar a capacidade máxima do aparelho (cada ciclo consome cerca de 150 litros de água).

Dê preferência por máquinas que lavam por tombamento.
Gastam pouca água, não estragam roupas delicadas e são muito silenciosas.
Utilizam motores com acionamento Direct Drive.

Também é importante consultar o manual de instruções para saber a quantidade exata de sabão e detergente a ser usada e qual o procedimento para a limpeza dos filtros , que devem ser limpos periodicamente, garantindo a eficiência da máquina.

Dica: sempre que possível utilize a lavagem a frio, capaz de economizar cerca de 92% de energia.

No condomínio.
Se você mora em um condomínio, pode também implementar mudanças que beneficiem não apenas a sua família, como todos os vizinhos, contribuindo para reduzir até mesmo as cifras da taxa de condomínio no final do mês !

Iluminação.
Substitua as lâmpadas incandescentes pelas Leds nos escritórios, garagens e almoxarifados.

Sempre que possível, aproveite a iluminação natural e desligue as luminárias das dependências ociosas ou meramente decorativas.

Verifique também a possibilidade de fazer rodízios na iluminação de garagens, áreas externas ou corredores, sem comprometer a segurança dos moradores.

Rodízio de elevadores.
Que tal sugerir aos condôminos um rodízio de funcionamento dos elevadores nos períodos de menor movimento ?

Além disso, faça uma campanha de conscientização do uso eficaz deste meio de transporte, chamando a atenção de seus vizinhos para a importância de se respeitar o limite máximo de capacidade, apertar o botão de chamada apenas uma vez e optar por usar as escadas quando for preciso subir ou descer poucos andares.

Motores-Bomba.
Os motores-bomba dos sistemas de água consomem energia, por isso observe a quantidade suficiente de água e regule o nível automático da bóia.

Além disso, as manutenções periódicas nos sistemas de suprimento de água são importantes para se verificar a existência de vazamentos e o estado do eixo do motor (bomba de água).

Novas rotinas de trabalho.
De acordo com o site do Programa Casa Segura, novas rotinas de trabalho podem representar uma economia de até 80% no consumo de energia.

Concentrar o trabalho em áreas específicas, desligar aparelhos e luzes das salas ociosas e realizar a limpeza por andares são outras alternativas de economia.

Evite o uso de energia elétrica no horário de pico.
Além de todas as recomendações anteriores, também é muito importante ficar atento ao horário de pico, geralmente entre as 18 e 21 horas, período em que o consumo de energia é mais alto, ou seja, um maior número de pessoas está utilizando chuveiros elétricos e eletrodomésticos.

Este período está associado ao horário que os trabalhadores voltam para suas casas.

Por isso, se você tem a vantagem de dispor de outras alternativas de horários, evite o consumo de energia elétrica nos horários de pico.

Dica:
Consulte seu eletricista de confiança.


Siga me no Google+ Gilson Carlos Pessanha


Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

Nenhum comentário:

Postar um comentário