segunda-feira, 29 de julho de 2013

Os Crânios de Cristal e seus mistérios

A imagem de um crânio desperta nas pessoas impressões variadas, dentre as quais muito provavelmente as mais marcantes são o temor pela morte e seus mistérios.

Entretanto, ele representa muitas atividades ou situações.

Durante os séculos 16 e 17, por exemplo, os grupos de piratas que cruzavam os mares com o objetivo de promover saques e pilhagens a navios e cidades, tinham um crânio nas bandeiras usadas em suas embarcações.

O crânio também é usado para sinalizar situações de perigo eminente, como em instalações elétricas ou em substâncias tóxicas, venenos, etc.

Durante o nazismo, na Alemanha, ele era desenhado nos uniformes dos membros da SS (Reichsfuehrer - SS).

Algumas fraternidades e confrarias o adotam com símbolo.

Sozinho, com ossos cruzados ou com o esqueleto completo, o significado varia de grupo para grupo.

Para alguns representa transformação, enquanto para outros simplesmente a morte física.

Mas o que é exatamente um crânio ?

O crânio é um invólucro, uma caixa óssea que contém e protege de forma especial o cérebro, assim como os órgãos responsáveis pelos sentidos (olfato, visão, audição e paladar), servindo de suporte aos órgãos dos sistemas respiratórios e digestivo.

Tradicionalmente, representa a sede da alma e a morte física por meio da qual ocorre o renascimento espiritual mais elevado.

Simboliza o tempo e a necessidade do desapego pelas coisas que são perecíveis.

Em alguns meios alternativos e ocultistas, ele expressa a ligação entre o microcosmo humano e o macrocosmo do Universo.

Por quê foram esculpidos em cristal Quartzo ?
Sobre os crânios de cristal, uma das questões mais discutidas, principalmente pelos meios ocultistas e esotéricos, é por quê razão teriam sidos esculpidos em Quartzo.

Diversas teorias têm sido elaboradas sobre este tema.

O que se sabe é que o Quartzo é o segundo mineral mais abundante no planeta.

Tradicionalmente, é conhecido como cristal de rocha ou Quartzo Claro.

Ele é incolor e transparente, mas existem também algumas variedades coloridas como, por exemplo, o Citrino, a Ametista, o Quartzo Rosa, o Quartzo Fumê ou o Quartzo Leitoso.

O Quartzo e a ciência.
Nos últimos tempos, o Quartzo tornou-se componente importante de modernas tecnologias, tanto que faz parte de dispositivos usados em computadores e em meios de comunicação.

Sem o Quartzo, por exemplo, não seria possível programar ou armazenar dados no computador, e muito menos obter qualquer tipo de informação.

Em 2012 a empresa Hitachi desenvolveu um método capaz de armazenar grandes quantidades de dados em uma placa de Quartzo, por milhões de anos sem se deteriorar.

Segundo a reportagem, publicada no GI Tecnologias e Games, em 24 de Setembro de 2012, para se ter uma ideia da invenção basta imaginar que um HD de computador dura, em média 10 anos sem perder seus arquivos, e um Pen Drive entre 15 e 30 anos.

De acordo com a fabricante Japonesa, as informações binárias que são lidas pelos computadores, ficam guardadas em placas de Quartzo.

Um laser grava pequenos pontos na éça que podem ser lidos pela máquina e interpretados como dados.

A placa armazena 40 MB de dados por polegada, o que permite criar uma placa de tamanho suficiente para guardar grandes quantidades de informação.

Ela é resistente, tanto que é capaz de aguentar temperaturas de mais de mil graus Celsius por aproximadamente duas horas sem perder qualquer tipo de informação arquivada.

Se pensarmos, por exemplo, em invenções deste tipo, ou que um pequeno chip é capaz de armazenar milhares de dados, é muito fácil imaginar que um Crânio de Quartzo, do tamanho de um natural, poderia armazenar uma quantidade de dados praticamente incalculável.

4 teorias Místicas ou Alternativas sobre a origem dos Crânios de Cristal:
O autor Joshua Shapiro explica em ¨História dos Crânios de Cristal¨, algumas ideias sobre a possível origem destas esculturas, baseado em crenças e teorias místicas ou ocultistas.

Envolvido com o tema desde 1983, ele teve a oportunidade de conhecer grande parte dos crânios presentes em exposições públicas espalhadas pelo mundo.

Autor de diversos trabalhos sobre estas esculturas, ele e sua parceira, Katrina, são conhecidos popularmente como os Exploradores de Crânios de Cristal,

Shapiro descreve em seu artigo quatro prováveis origens dos Crânios de Cristal, destacando que nenhuma das hipóteses pode ser comprovada comprovada cientificamente.

A primeira ideia apresentada é de que os crânios são provenientes de outras dimensões ou de civilizações de outros planetas.

As razões desta hipótese se baseiam no fato de que alguns destes objetos apresentam um design requintado, o que leva a crer que foram elaborados por inteligências superiores e evoluídas.

Além deste fato, ele destaca que muitas pessoas que conseguem manter uma comunicação telepática com seus crânios pessoais (novos ou antigos), afirmam que falam com inteligências que pertencem a outras dimensões ou a outras galáxias.

A suposta origem em outras dimensões, vinda de seres extraterrestres, dos crânios de cristal também se baseia nas culturas indígenas espalhadas pelo mundo.

Shapiro explica que algumas lendas da Mesoamérica afirmam que estes crânios são presentes dos deuses, que poderiam perfeitamente pertencer a outros planetas.

Neste contexto, vale a pena destacar que diversas civilizações pré-colombianas viveram nesta região antes da conquista espanhola.

Entre elas estão algumas avançadas e complexas como a dos Astecas, Maias, Olmecas e Teotihuacanos.

A segunda ideia sobre a origem destes crânios está ligada à existência de prováveis civilizações avançadas em nosso planeta, consideradas míticas, como a Lemúria ou a Atlântida.

Segundo Shapiro, esta teoria deriva principalmente das memórias de vidas passadas de pessoas que descrevem estas civilizações ou com as informações de indivíduos paranormais ou sensitivos quando estão na presença de um crânio.

O autor também cita como fonte desta teoria, informações de anciãos e xamãs, ligados aos povos Maias.

A provável terceira origem está ligada especialmente à famosa lenda das 13 Matriarcas, atribuída a tribos nativas norte-americanas (Kiowa, Cherokee, Iroquois e Sêneca), segundo a qual cada matriarca possuia um crânio de cristal, que servia como instrumento de cura e aconselhamento.

As matriarcas regiam as treze lunações, protegiam o planeta e todos os seres vivos.

Esta lenda é denominada por Shapiro de Ilha da Tartaruga - o símbolo da Mãe Terra é a tartaruga, e seu casco, formado de treze segmentos, simboliza o calendário lunar.

A teoria da Terra Oca é considerada a quarta provável origem dos crânios de cristal.

Ela está relacionada à crença da existência de uma civilização avançada e sofisticada que vive no centro da Terra.

Existem suposições de seres de outras galáxias trouxeram aos habitantes da Terra Oca, um Crânio de Cristal, contendo a história e os códigos genéticos da sua raça.

Segundo o autor, existem também algumas ideias sobre a finalidade e o uso dos Crânios de Cristal.

Uma delas os associa a computadores da antiguidade que armazenavam informações e conhecimentos.

Acredita-se que a leitura destes dados será possível com o avanço da nossa ciência e tecnologia.

Há também a ideia de que os crânios eram usados para registrar frequências vibratórias e energéticas daqueles que estavam próximos a eles.

Neste contexto, os crânios tinham a capacidade de ajudar as pessoas em seus processos de cura, tanto física quanto psicológica e emocional.

Também eram usados como ferramentas para a melhora do ambiente físico, ou para acionar algum portal interdimensional que permitia o contato dos humanos com seres de outras dimensões...

Fonte:
www.mythoseditora.com.br






Skull & Skeleton Graphics
Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

Nenhum comentário:

Postar um comentário