quinta-feira, 19 de junho de 2014

Qual a vida útil das fiações elétricas em uma residência ?

Olá amigos e leitores do Blog do Gilson Eletricista.

Muitos clientes perguntam se já está na época de efetuarem a troca de suas antigas fiações elétricas.

Dica:
Estimativa: 20 anos
Ocorrências de curto-circuito: - 5 anos
Ideal: Troca a cada 10 anos
Manutenção preventiva: a cada 5 anos

Alguns aspectos e sinais podem ser observados visualmente nas próprias fiações:

Capa de isolamento:
Se as capas estiverem com rachaduras, trincas, ressecadas e quebradiças, é sinal de que estas fiações já sofreram correntes de curto-circuito e uso acima da capacidade máxima de condução elétrica.

Quando estas fiações apresentarem estes aspectos, significa que os correspondentes disjuntores de proteção estão super dimensionados e a sobre carga causou o envelhecimento.

Muito provavelmente, devem estar havendo fugas elétricas nas tubulações e eletrodutos e consequentemente elevadas contas de luz.

Zinabre:
O zinabre ou azinhavre é um tipo de corrosão química que ocorre quando dois metais distintos com potenciais elétricos diferentes são conectados um ao outro.

Metais menos nobres ou mais negativos, conhecidos como ¨Ânodos¨, acabam perdendo material para os íons que os levam até os metais mais nobres, conhecidos com ¨Cátodos¨, ocorrendo aí a corrosão deste.

Esta oxidação do cobre e latão apresenta uma coloração esverdeada e azulada.

Na foto acima, esta tomada elétrica estava sem corrente.
As outras tomadas, no mesmo circuito elétrico, antes e depois desta estavam funcionando normalmente.
Morador concluiu que a tomada estava com defeito e a substituiu e o defeito continuou.
A elevada quantidade de Zinabre, pela conexão de um antigo fio rígido com um moderno cabo flexível foi gerada pela corrosão galvânica na emenda, entre dois metais diferentes em sua pureza.

Como consequência este material tende a envolver os fios de cobre e aumentam a resistência elétrica entre emendas e conexões em disjuntores, barramentos e conectores, dificultando a passagem da corrente elétrica.

Com o aumento da resistência, o calor gerado começa a derreter as capas, chegando a queimar disjuntores e quadro de luz.

Com a crescente liberação de faíscas, a possibilidade de ocorrer um incêndio é grande.

Dica:
Uma mistura feita com limão galego, aquele avermelhado, + sal, removerá facilmente o Zinabre das superfícies afetadas, como as panelas de cobre.

Além disso, os fios antigos, não tinham 100% de cobre em sua composição e possuíam outros metais menos nobres em sua fabricação.

Atualmente, as fiações elétricas dos bons fabricantes são com 100% de cobre, capas que resistem temperaturas de 70º a 90º C, anti-chamas e que não liberam fumaça ao serem queimadas.

São as denominadas Afumex e seu uso para recintos onde haja grande concentração de pessoas é obrigatório.

Dica:
Emendas cuja fita isolante está ressecada, se desenrolando e gosmenta, pode retirar e refazer porque o Zinabre já se propagou nestes condutores.

Dica:
Observou algum dos aspectos acima citados ?

Pode solicitar a troca de suas fiações elétricas.

Está em dúvida ?

Consulte seu eletricista de confiança.



Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha   MyFreeCopyright.com Registered & Protected
Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

Nenhum comentário:

Postar um comentário