domingo, 15 de junho de 2014

Uma pequena sala comercial com muitos erros elétricos

Olá amigos e leitores do Blog do Gilson Eletricista.

Fui contratado para instalar um circuito elétrico para chuveiro elétrico em 220 volts e mudar a tensão de 127 volts para 220 volts no ar condicionado de janela, de uma sala comercial em uma conhecida Galeria do Largo do Machado - Catete - Rio de janeiro.

Esta sala com uma recepção, uma copa, um banheiro e uma sala, esteticamente estava bem conservada e somente seria necessária uma pintura.

Ao olhar para o Quadro de Luz, notei que no local onde só havia 1 disjuntor monopolar para tudo, foi deslocado para o lado 1 disjuntor tripolar de 50A.

Provavelmente, as antigas instalações era monofásicas (127 volts) e foi feito um aumento de carga para trifásico (3 fases de 127 volts).

Ao retirar a tampa de ferro, deste disjuntor, logo de imediato, vi 2 erros básicos:



 Vindos do Pc de Luz, 4 cabos flexíveis de 6 mm², todos na mesma cor (verde).

Dica:
A cor Verde ou verde e amarela é exclusiva para o Terra.

As cores padrões para as Fases são: Branco, Vermelho e Preto.

A cor padrão para o Neutro é o Azul.

Estes 4 cabos Verdes foram deslocados para a nova caixa ao lado e fixados com cimento, diretamente sobre as capas dos condutores.

Os 3 cabos conectados na saída do disjuntor continuaram na cor verde e o condutor Neutro foi emendado em um condutor na cor preto com seção de 2,5 mm².

Dica:
A cor padrão para o Neutro é o Azul.

A seção do Neutro deverá ser igual a seção dos condutores Fase, porque a corrente elétrica que chega na Fase será a mesma que retornará pelo Neutro.




Esta tomada acrescentada ao lado da parede do disjuntor, está desprotegida, porque foi utilizado um fio paralelo de 1,5 mm², o qual está quase entrando em curto pela pressão da tampa de ferro.

A emenda feita precariamente no Neutro, está isolada com fita durex.

Ao conectar este fio flexível e fino, no mesmo borne do disjuntor de 50A, juntamente com o cabo flexível de 6 mm², o aperto será feito em cima do de 6 mm², porque é mais grosso, e o de 1,5 mm² ficará frouxamente conectado.



Os cabos flexíveis conectados nos bornes do disjuntor, estão sem terminais crimpados, estão exageradamente desencapados e no borne da esquerda o cabo está sendo queimado por falta de aperto.

Dica:
Para você conseguir um excelente aperto em um parafuso, utilize sempre a chave de fenda adequada ao tamanho e ao tipo da fenda e com um cabo que proporcione uma boa pegada.

Nesta foto acima, a chave que estou utilizando para mostrar o borne queimado, não é adequada para apertar estes bornes.

Ao abrir a primeira caixa de luz no teto, a situação da emenda no Neutro, piorou, porque desta caixa foram derivados cabos flexíveis com seção ainda menor (1,5 mm²).

Dica:
A seção de um condutor elétrico deverá ser a mesma desde o início do circuito no Quadro de Luz, até o extremo do circuito.

Com esta redução dos cabos, na ocorrência de um curto-circuito, até o disjuntor de 50A desarmar, os fios e cabos mais finos já teriam pego fogo.

As derivações dos circuitos do Neutro deverão ser feitas no barramento de Neutro, no Quadro de Luz.

Dica:
Um circuito elétrico trifásico de 127 volts, alimentado com um único Neutro para tudo, corre o perigo de ao ser interrompido este Neutro, todos os aparelhos e lâmpadas passarão a receber 220 volts

Um circuito elétrico trifásico de 220 volts, alimentado com um único Neutro para todos os circuitos, corre o perigo de ao ser interrompido este Neutro, todos os aparelhos e lâmpadas passarão a receber 380 volts.

Como eu deveria passar 2 cabos flexíveis de 6 mm² para o novo circuito do chuveiro elétrico de 4.600 w x 220 volts e passar vários circuitos exclusivos com cabos flexíveis de 2,5 mm², o jeito foi retirar todos as fiações antigas e instalar um novo Quadro de Luz moderno da marca Tigre.





Este Quadro de Luz, possui 2 níveis de proteção:

Disjuntores Din da marca Siemens: Proteção contra sobre carga e curto circuito

DPS: Proteção para os equipamentos eletroeletrônicos e lâmpadas contra surtos elétricos e picos de tensão vindos de fora.

Aproveitamos e trocamos todos os interruptores e tomadas antigas pela Linha da marca Fame Modulare.

Ao retirar as antigas, mais erros:

retornos de lâmpadas com cabo de 6mm²;

fechamentos de circuitos com 2 cabos de 6 mm² em bornes de interruptores que são para 2,5 mm² no máximo;

emendas em ponto de luz no teto, sem isolamento;

caixa externa com disjuntor e tomada para o ar condicionado de janela, muito afastada do aparelho.



 A capa do cabo flexível de 6 mm² está exageradamente desencapada e a seção do cobre teve de ser diminuída para conseguir entrar no borne pequeno.

O fechamento de um circuito diretamente no borne do interruptor ficou prejudicado pela redução da emenda...


 Neste antigo plafonier, a ligação do bocal com o cabo flexível branco está feita por um pedaço de fio rígido amarelo e a emenda, do tipo gancho, está sem isolamento.


Dica:
A canaleta vertical está fora do prumo e visualmente fica feio.

Utilize os cantos de colunas e paredes ou utilize um nível de bolha.

Comentário Pessoal:
Estas instalações não devem ter sido realizadas por um eletricista.

Como diz o Cantor e Compositor Roberto Carlos: São tantas emoções...

Eu digo: São tantos erros...



Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha     MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

Nenhum comentário:

Postar um comentário