quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Quais as manutenções preventivas a serem realizadas em um Quadro de Disjuntores ?

Olá amigos e iluminados leitores do Blog do Gilson Eletricista.

O Quadro de Disjuntores ou Quadro de Luz é a principal proteção e distribuição de energia elétrica em uma residência, loja, fábrica ou industria.




No Quadro chegam os cabos elétricos com 1 Fase + Neutro + Terra, ou 2 Fases + Neutro + Terra, ou 3 Fases + Neutro + Terra.

Em alguns, mais antigos o Terra não está instalado.

Com a utilização diária, é normal acontecer o desgaste entre as conexões e parafusos dos barramentos e disjuntores.

Como ocorre o desgaste entre as conexões ?
Com a passagem da corrente elétrica.

O quê acarretará este desgaste nos contatos ?
Inicialmente a conexão ficará frouxa e haverá aumento da resistência, o que por sua vez irá gerar calor.

Este calor irá tendendo a aumentar e começará a queimar os bornes dos disjuntores e capas dos cabos elétricos.

A tendência é o cobre do condutor ficar cada vez mais fino e terminar por arrebentar e parar o funcionamento do respectivo circuito.

Existe outra possibilidade de acontecer este mau contato ?
Sim.

Conexões fracamente apertadas com a utilização de chaves de fenda inadequadas.

Oxidação do cobre por Zinabre.

O cobre fica esverdeado ou azulado e esta oxidação isola o contato e tende a queimar o condutor ou disjuntor.

Estes maus contatos podem gerar prejuízos ?
Sim.

Estará havendo um desperdício de energia elétrica sob a forma de calor.

A tensão elétrica estará diminuída e fará com que os motores, por exemplo da ar condicionados, trabalhem com maiores correntes elétricas.

Neste caso, o morador estará com sua conta de luz acrescida por este aumento de consumo e pela fuga sob a forma de calor, ou seja contas altas.

Agora, o maior prejuízo, sem duvida, será o início de um incêndio...

Manutenções preventivas necessárias:
Para lojas e comércios = de 6 em 6 meses.
Para residências = 1 vez por ano.

Este é um procedimento que deverá ser realizado por um eletricista qualificado e com a utilização de ferramentas isoladas e equipamentos de EPis.

Consulte o seu eletricista de confiança ou veja aqui na lateral do Blog a lista de profissionais qualificados, em várias partes de Brasil.

Retirar a tampa do Quadro de Disjuntores.

Observar atentamente o estado físico do Quadro.

Se o eletricista tiver um termômetro digital, poderá localizar rapidamente os pontos quentes com temperatura acima de 70º C.

Desligar todos os disjuntores secundários.

Desligar o disjuntor geral.

Remover e eliminar pontos com zinabre.

Aplicar anti-corrosivo nos barramentos e conexões em geral.

Reapertar todos os parafusos e porcas.

Religar o Disjuntor Geral.

Religar todos os disjuntores secundários.

Com um voltímetro, colocar uma ponta de prova no barramento Neutro e com a outra ponta, aferir todas as tensões elétricas na entrada do disjuntor Geral, na saída do disjuntor Geral, na entrada de cada disjuntor secundário, na saída de cada disjuntor secundário e no barramento Terra (caso exista).

Com estas verificações o eletricista verá se existem quedas de tensão nos circuitos e a qualidade do aterramento.

Com o amperímetro garra, verificar as correntes totais, que estão passando pelo disjuntor geral.

Com esta verificação, o eletricista verá se o Quadro está balanceado, ou seja, se as correntes das 3 Fases estão as mais próximas possíveis.

Um Quadro desbalanceado, também ocasiona altas contas de luz.



Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha           MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Siga me no Google+ Gilson Carlos Pessanha

Nenhum comentário:

Postar um comentário