quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

A farsa das lâmpadas econômicas.

Olá nobres amigos e iluminados leitores do Blog do Gilson Eletricista.

Este é  um assunto polêmico e que vem sendo debatido no Grupo Eletroface, do qual tenho a honra de participar.

Uma lâmpada dita econômica é realmente econômica ?

Sim e não !
Para explicar ou tentar entender esta questão, terei de explicar alguns conceitos de Potência.

Na figura de um chopp, quanto maior a espuma (kVAR), maior o consumo (kVA).



Potência Ativa (kW).
Esta é a potência ativa e é usada para executar trabalho.

Potência Reativa (kVAR).
Esta é a potência necessária para a formação de campos magnéticos em circuitos indutivos e capacitivos.

Potência Aparente (kVA).
É a soma vetorial e não algébrica das duas potências anteiores.

Qual destas potências é aferida nos medidores de luz ?
Para os consumidores do Grupo A (indústrias e fábricas e grandes consumidores): As duas, kW e kVAR.

Para os consumidores do Grupo B ( residências e pequenos consumidores): kW.

A farsa das lâmpadas econômicas.
Todos os fabricantes, independentes de marcas, fabricam lâmpadas eletrônicas e Leds com baixo Fator de Potência.

O quê é o Fator de Potência ?
Fator de Potência é o índice que indica o quanto um aparelho ou lâmpada é eficiente.

Qual é o melhor índice de Fator de Potência ?
Fator de Potência = 1

Em quais tipos de cargas, o Fator de Potência é igual a 1 ?
Cargas elétricas exclusivamente resistivas, como por exemplo, chuveiros elétricos simples, lâmpadas incandescentes, pranchas elétricas, fornos elétricos, aquecedores elétricos, saunas elétricas, ferro de passar roupa, secadores de cabelos, pranchas alisadoras de cabelos, etc...

Com excessão destes equipamentos, todos os demais irão gerar energia reativa, expressa em kVAR.

Lâmpadas eletrônicas fluorescentes ou FLC.
As fluorescentes tubulares necessitam de um reator eletrônico para o seu funcionamento.

Neste reator está sinalizado o Fator de Potência.

Se este Fator de Potência for baixo (igual ou maior que 0,5), isto significa que, por exemplo, para duas lâmpadas fluorescentes tubulares de 40w, a energia total necessária será igual ao dobro, ou seja 160w + perdas no reator.

Já nas lâmpadas eletrônicas compactas, até 30w, o consumo será o dobro.

Você compra uma lâmpada de 25w e ela irá consumir 50w.

A partir de 30w, o Fator de Potência muda para 0,92 (próximo do Fator 1).

Lâmpadas Leds.
Já no caso das lâmpadas Leds, abaixo de 10w, o Fator de Potência é baixo.

Você compra uma de 9w e ela irá consumir o dobro (18w).

Por estas razões, muitas pessoas, substituem todas as sua antigas lâmpadas por lâmpadas econômicas e o resultado na economia obtido é mínimo.

Comentário Pessoal:
Por resolução, os consumidores do Grupo B, não podem ser cobrados pela energia reativa gerada.

Meus questionamentos:
- Uma grande indústria ou fábrica é cobrada pela energia reativa gerada.

- Em uma rua ou bairro, temos vários condomínios residenciais e cada um deles com centenas de unidades.
 Cada unidade, com seus aparelhos de ar condicionado e lâmpadas gera energia reativa.
Esta quantidade de energia reativa, será muito maior em relação á uma indústria.
E esta energia não é cobrada ?

Somos até cobrados até pela iluminação pública de uma lâmpada na rua...

- Segundo eletricistas, os medidores comuns, que são a grande maioria, não conseguem distinguir a Potência Ativa em kW da Potência Reativa em kVAR e aferem o total (Energia Aparente em kVA).

- Se Inmetro atesta a eficiência de eletrodomésticos em geral e incentivam para a aquisição de produtos com a classificação A e os medidores não registram a energia reativa (kVAR), qual a vantagem de economia em comprar um produto mais caro ?

Minhas eletrizantes conclusões:
- Não compre lâmpadas com Fator de Potência menor que 0,92.

- Não compre reatores eletrônicos com Fator de Potência menor que 0,92.

- Não compre eletrodomésticos com selo  Procel diferente do A.

Observação:
Estou reunindo algumas lâmpadas FLC e Leds, e vou aferir e comprovar utilizando um Wattímetro, se o Fator de Potência especificado, realmente corresponde à realidade anunciada pelo fabricante.

Isto será motivo para um novo post denúncia, em breve...



Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha        MyFreeCopyright.com Registered & Protected




Siga me no Google+ Gilson Carlos Pessanha



Nenhum comentário:

Postar um comentário