sábado, 23 de abril de 2016

Contos do Gilson Eletricista: É só trocar o disjuntor de 100 A

Olá nobres amigos e iluminados leitores do Blog do Gilson Eletricista.

Condomínio residencial, me contratou para realizar a simples troca de um disjuntor tripolar de 100A por um disjuntor tripolar de 100A industrial Ge em caixa moldada.

Vou precisar afastar o veiculo.

Não dá.

Está travado e o morador viajou...

Vou precisar desligar a chave geral do prédio.

Não dá.

Toda a área de serviços, elevadores e portões irão parar.

Preocupado em não encostar na porta de alumínio, no carro e na chave Faca de 100A, iniciei a troca.






Retirei uma Fase de cada vez e isolei.

O suor escorria por todo o corpo.

A tensão elétrica e emocional era grande.

Eu estava lidando com Fases de 127 volts alimentadas por uma chave Faca de 400A.

Este disjuntor antigo tripolar de 100A x 5Ka não conseguia um bom aperto nos cabos de 16 mm².

As pontas de cobre foram estanhadas.

E este foi o motivo do derretimento nos cabos.

O Estanho não é um bom condutor elétrico.

Ao aumentar a temperatura na transmissão da corrente elétrica o Estanho e o Chumbo da solda amolecem.

Ao amolecer a conexão do aperto no disjuntor fica frouxa.

Daí para a frente é só derretimento por Efeito Joule.

O quê fazer ?
Ou você enfia a ponta dos cabos decapados diretamente nos bornes ou você crimpa um terminal ilhós de 16 mm² na ponta deste cabo.

Eu, particularmente, prefiro o terminal ilhós.

Os finos fios de cobre ao serem apertados pelo parafuso, acabam causando cisalhamento dos fios.

Já com o terminal ilhós isto não acontece.








Estes disjuntores GE de 150A x 10Ka protegem as fiações do PC de Luz até a casa de máquinas dos elevadores.

Lá instalei chaves manuais anti-explosão por arco elétrico com fusíveis Diazed  Ultra rápidos de 60A e a parte operacional do controle com disjuntor e Dr + aterramento estrutural na coluna.

Lá estão funcionando por mais de 10 anos.






Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha             MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Siga me no Google+ Gilson Carlos Pessanha

4 comentários:

  1. Bom dia Gibson,

    O disjuntor adequado neste caso não seria o de 63A, visto a bitola do cabo?

    Acredito que deva ter orientado ao sindico quanto aos riscos deste disjuntor sobredimensionado.

    Abraço,
    Vinícius Moura
    Téc. Eletrotécnica / Eletrônica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Gibson,

    O disjuntor adequado neste caso não seria o de 63A, visto a bitola do cabo?

    Acredito que deva ter orientado ao sindico quanto aos riscos deste disjuntor sobredimensionado.

    Abraço,
    Vinícius Moura
    Téc. Eletrotécnica / Eletrônica

    ResponderExcluir
  3. Olá Vinicius Moura,
    os cabos originais estão por trás da madeira e são pretos semi-rígidos de 50 mm.
    Iguais aos dos disjuntores ao lado.
    Os circuitos alimentados pelos cabos azuis são iluminação dos elevadores, amplificador da antena coletiva, amplificador da Net e outros pequenos.
    Poderia até baixar para tripolar de 50A.
    São instalações elétricas da época da construção do prédio.
    Antes era uma seccionadora faca de 3x100A.
    Outros disjuntores menores em outros Quadros protegem tudo.
    Tenha um dia iluminado !

    http://gilsoneletricistaindicaosmelhores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Vinicius Moura,
    os cabos originais estão por trás da madeira e são pretos semi-rígidos de 50 mm.
    Iguais aos dos disjuntores ao lado.
    Os circuitos alimentados pelos cabos azuis são iluminação dos elevadores, amplificador da antena coletiva, amplificador da Net e outros pequenos.
    Poderia até baixar para tripolar de 50A.
    São instalações elétricas da época da construção do prédio.
    Antes era uma seccionadora faca de 3x100A.
    Outros disjuntores menores em outros Quadros protegem tudo.
    Tenha um dia iluminado !

    http://gilsoneletricistaindicaosmelhores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir