quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Comprei um Latina Air e não gostei da luz amarelada e fraca. O quê fazer ?

Olá amigos e leitores do Blog do Gilson Eletricista.

A Latina tem dois modelos de ventiladores de teto e a única diferença entre ambos é o tipo de lustre.

No Latina Lumen, o lustre é com um formato arrendondado e possibilita a utilização de lâmpadas incandecentes, FLC ou LEds.

Já no Latina Air, o lustre fica bem rente a base, e só possibilita a utilização de 2 lâmpadas halogenas de no máximo 60w ou 2 Leds haloppen de no máximo 3w.

O quê fazer ?
Você poderá comprar um lustr completo do Latina Lumen e fazer a troca.

Este lustre é vendido na internet no Mercado Livre.

Ou...

Compre um plafon duplo do fabricante PERLEX, que é na cor branca e possui dois bocais E-27 inclinados um para cada lado e utilizar 2 lâmpadas Led Bulbo de 7w, 8w, 9w ou 11w.

Como fazer ?
Solte os 3 micro-parafusos que fixam o lustre de vidro na base.

Remova o lustre e desencaixe os soquetes das lâmpadas halogenas da base de aço inox.

Com a tecla da luz na posição desligada, corte os fios com um alicate de corte e isole as pontas.

No novo plafon de PVC, você deverá alargar o furo central com uma broca de 3/8¨, para que o nipple da base passe por dentro deste furo alargado.

Para fixar e travar este plafon, utilizei duas porcas de 3/8¨.

Coloque os fios nos dois bocais do plafon e faça a conexão com um conector de parafusos isolado.

Coloque a tampa de acabamento e utilize duas lâmpadas Led com a potência e o tom de cor da sua preferência.

Nesta foto utilizei 2 Leds Bulbo de 8w brancas, que equivalem a 2 incandecentes de 60w.

Esta adaptação transformou o Latina Air em um Latina Perlex ou um Latina GE (Gilson Eletricista).

Consulte seu eletricista de confiança que ele conseguirá também fazer esta eletrizante adaptação em seu Latina Air.

Qualquer duvida, entre em contato que orientarei...



Nesta etapa eu iria manter o vidro e faria 3 furos com brocas especiais para furar vidro, porém a curvatura do vidro causaria o aparecimento de uma fresta entre o vidro e o plafon...









                                                                      Novo designer

                          Antes com pouca luz amarelada e muito calor...

 Agora com muita luz branca ou amarela, com muita economia e sem calor...



Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha           MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

sábado, 23 de agosto de 2014

Jack the Ripper - Lâmpada Led

Olá amigos e leitores do blog do Gilson Eletricista.

Estou iniciando uma série de posts intitulados: Jack o estripador.

Nestes posts vou mostrar o interior de vários dispositivos e aparelhos, segundo a técnica do Jack the ripper.

O Blog do gilson Eletricista tem como sua principal característica a criatividade e a simplicidade na apresentação de diversos assuntos técnicos e teóricos procurando evitar ao máximo a utilização de termos técnicos e com isso me fazer entender com uma criança de 8 anos e com uma jovem senhora de 80 anos.

Led, mas afinal de contas que diabo é isto ?
Led são as iniciais de uma palavra inglesa, que significa Diodo Emissor de Luz.

É um componente eletrônico que quando a corrente elétrica passa por ele, a sua junção emite luz.

Devido a esta particular característica estes Leds começaram a ser empregados em todos os campos e áreas de nossa vida.

Qual o tipo de tensão para seu funcionamento ?
Tensão contínua ou VDC, ou seja é uma eletricidade que tem positivo e negativo, como nas pilhas.

Como será uma lâmpada Led por dentro ?
Nas fotos abaixo, veremos o quê existe dentro de uma lâmpada Led da marca Taschibra.


Retirado o difusor e o bocal com o driver e serrado o dissipador de calor.


Dissipador de calor serrado.


Aí estão os 14 Leds que estão soldados em uma placa de circuito impresso  acoplada com pasta térmica ao dissipador de alumínio.


Driver visto por cima.

Driver visto por baixo.


 Fios do lado esquerdo são soldados ao bocal e os fios do lado direito são a saída para o grupo de Leds.


Nesta foto tentei fazer uma adaptação para instalar dentro do lustre do ventilador de teto Latina Air e substituir as lâmpadas halogenas haloppen


Neste intenso manuseio o driver foi danificado e a lâmpada não acendeu.

Com a diminuição da área do dissipador talvez o calor gerado seria destrutivo para os Leds...

Em todo caso fica aqui a demonstração como é uma lâmpada Led por dentro.


Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha        MyFreeCopyright.com Registered & Protected    





Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Apartamento de 3 quartos e sala com alta conta de energia elétrica. O quê fazer ?

Olá amigos e leitores do blog do Gilson Eletricista.

Um apartamento em Copacabana com apenas 2 moradores e com 3 quartos + sala + banheiro social + cozinha + área de serviço e dependências de empregada, estava com contas de luz em torno de R$900,00.

O fornecimento de eletricidade vindo do PC de luz era antigo e mono-fásico, com 2 fios rígidos de 4 mm².

Pc de luz no térreo e apartamento no 8º andar.

Ao modernizarem o Pc de luz, estes 2 fios foram substituídos por 4 cabos flexíveis de 6 mm².

O fornecimento continuou mono-fásico, porém com a capacidade 3x maior, pois os cabos foram ligados 2 a 2 em paralelo, ou seja o fio de 4 mm² ficou substituído por 2 de 6 mm².

A segurança aumentou, mas as contas continuaram elevadas.

O quê fazer ?
Verificar a quantidade de lâmpadas, o tipo de lâmpadas e as cargas instaladas, principalmente os motores, como ar condicionados e a existência de chuveiro elétrico.

Haviam 2 ar condicionados modernos e que não eram ligados há meses.

Haviam 2 ventiladores de teto, com pouco uso.

Havia 1 chuveiro elétrico no banheiro de empregada e usado no morno e 2 x por dia.

Banheiro social com aquecedor à gás.

2 Tvs modernas Led.

Lâmpadas FLC.

Ou seja, as contas altas, não era o consumo normal de um casal de senhores.

Dica:
Abrir o Quadro de Luz e vistoriar disjuntores, conexões, barramentos e qual fiação está sendo distribuída para os circuitos elétricos.

Pude verificar de imediato que aqueles fios elétricos rígidos eram da época da construção do prédio, há + de 50 anos atrás.

O quê fazer ?
Substituir toda a fiação antiga de 1,5 mm² por modernos cabos flexíveis de 2,5 mm²;

Substituir antigos spots de ferro com os bocais oxidados por modernos spots de plástico de engenharia;

Substituir todas as antigas lâmpadas incandescentes e FLC  por modernas lâmpadas Led.

O quê encontrei ?
Além de fiações ressecadas e quebradiças pelo uso acima da capacidade e pelo tempo acima de 20 anos, encontrei inúmeras gambiarras, as quais foram feitas por diferentes instaladores, digamos assim, não qualificados.

Todos os interruptores comandavam o Neutro e a Fase ia direta do disjuntor para o bocal da luminária, spot ou lustre.

Como neste ponto o Neutro estava quebrado, alguém, improvisou um fio rígido, amarrado no olhal da caixa de ferro e ligado em outro fio rígido para alimentar o interruptor.
O fio vermelho também servia para travar o interruptor, porque o parafuso de fixação não alcançou o olhal da caixa de ferro.

Suporte da luminária fluorecente amarrada co arames finos e oxidados.
Grande quantidade de emendas, próximas umas das outras.
As duas primeiras emendas estavam com a fita isolante desenrolada e isto é causado pelo zinabre e pelo calor da má conexão.

Retiradas as fitas isolantes gosmentas, presença de zinabre e emenda frouxa, tipo gancho ou anzol...

Como neste interruptor, havia um parafuso longo, alguém, enrolou um fio rígido nele para servir de Neutro.
A Fase está com uma emenda isolada com fita de papel gomada...

Este parafuso para fixar o suporte da luminária estava frouxo e, alguém, colocou Bombril porque diz a propaganda que ele tem 1001 utilidades...


Arruela de Bombril e bucha de toco de madeira é do tempo da minha bisavó...

Ao abaixar o spot, emendas frouxas e com o cobre exposto.

6 emendas próximas umas das outras e as 2 de cima com fita de papel gomado.


 Neste banheiro a queima e troca de lâmpadas FLC era constante.



Dica:
Para cortar um teto de gesso rebaixado, este serrote da marca Stanley será de grande utilidade.
Você gira a ponta até que ela ultrapasse a placa de gesso.
Em seguida bata com a palma da mão no cabo e a lâmina entrará e cortará o gesso.
Apare o pó com uma pá de lixo.

Emendas distribuindo os fios para os 4 pontos com folga e zinabre...

Emendas de fios com cores diferentes, isoladas com papel, frouxamente e dentro do eletroduto de ferro...

Este fio foi difícil de sair de dentro do eletroduto devido ao atrito causado por esta emenda isolada com esparadrapo.

Derivação com emenda zinabrada, frouxa e com isolante de papel desenrolado...


Conclusão:
Alto consumo devido a fugas em fiações elétricas antigas e fora do prazo de validade e instalações elétricas posteriores que não foram efetuadas por um eletricista e sim por ¨alguém¨...


Autor do texto e das fotos: Gilson Carlos Pessanha       MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

domingo, 17 de agosto de 2014

Como testar um DPS ?

Olá amigos e leitores do Blog do Gilson Eletricista.

Outro dia me perguntaram:

Como saber se um DPS está bom ?
Os DPS - Dispositivo de Proteção contra Surtos, vindos externamente pela rede elétrica ou gerados pelo acionamento de grandes máquinas e motores, desviam estes picos de tensão para o Terra ou o Neutro em uma instalação TN-c.

Ele só atuará quando a tensão de entrada ultrapassar 175 volts, no caso de DPS instalados em circuitos elétricos com 127 volts, ou quando a tensão de entrada ultrapassar 275 volts, no caso de DPS instalados em circuitos elétricos com 220 volts.

Posso testar com um ohmímetro ?
Este teste só te mostrará que o DPS não está danificado ou com defeito.

Colocando o múltímetro na escala mais alta do ohmímetro, coloque uma ponteira em um borne e a outra ponteira no outro borne.

O visor deverá marcar circuito aberto.

Como funciona o Varistor dentro de um DPS ?
Um varistor de oxido metálico é um resistor que tem o seu valor resistivo dependendo da tensão a ele aplicado.

A tensão estando abaixo da tensão do DPS, apresentará um valor resistivo infinitamente alto.

Ao atingir ou superar a tensão do DPS, este valor resisitivo diminui, em nano segundos, para zero.

Os DPS possuem algum indicativo do seu estado ?
Sim.

Algumas marcas utilizam Led bicolores:

Apagado: Indica que está faltando a Fase correspondente.
Verde: Funcionamento normal e Fase presente.
Vermelho: Indica que o varistor foi destruído e deverá ser substituído.

Outras marcas utilizam uma janela com dizeres:
Ativo ou normal.
Queimado ou substituir.

Outras marcas, têm até um contador digital do número de surtos desviados e são bem mais caras.

Qual a capacidade de condução em ampères de um DPS ?
10 Ka = 10.000 ampères.
12 Ka = 12.000 ampères.
13 Ka = 13.000 ampères.
15 Ka = 15.000 ampères.
20 Ka = 20.000 ampères.
40 Ka = 40.000 ampères.
70 Ka = 70.000 ampères.

Por quanto tempo um DPS consegue conduzir estes surtos ?
Para todas as capacidades, no máximo por 20 micro segundos.

Se o surto ultrapassar este tempo, o DPS se destruirá e deverá ser substituído.

Eu gostaria de fazer um teste real do funcionamento do DPS.  Como Fazer ?
Eu nunca precisei fazer este teste, porque confio e só compro DPS de marcas conceituadas, como a Clamper, a PW, a Steck, a Exatron, a Siemens e a Alumbra.

Dica:
Em uma bancada ou mesa, reuna os seguintes materiais:
1 auto-transformador pequeno ou de qualquer capacidade, de 127 volts para 220 volts.
1 lâmpada de teste incandescente de 60w 220 volts com bocal e rabicho.
1 DPS de tensão de 175 volts.
1 disjuntor Din de 6A.
1 interruptor pulsador (campainha).

Alimente o auto-transformador com 127 volts, através do disjuntor de 6A.

Na saída do auto-transformador com 220 volts, coloque o interruptor pulsador em série com um dos fios.

No outro extremo do interruptor, ligue ao borne do DPS.

No outro borne do DPS, coloque a lâmpada de prova em série até o Neutro.

Ligue o disjuntor e dê um rápido toque no interruptor pulsador.

Como a tensão que está chegando no DPS está acima de 175 volts, ele atuará e conduzirá a tensão de 220 volts para a lâmpada de prova e elea deverá piscar com brilho máximo.

Repetindo o teste e desta vez sem o auto-transformador, com 127 volts, a lâmpada não acenderá ou piscará.

Para testar DPS com 275 volts, você deverá alimentar o auto-transformador com 220 volts, na entrada de 127 volts e obterá uma tensão de sáida acima de 400 volts.

Restante do procedimento igual.

Comentário Pessoal:
Quem dispuser de um Varivolt, poderá fazer um teste bem mais preciso, não esquecendo de limitar a corrente que circulará neste circuito no momento do pulso do interruptor.

Se alguém tiver uma outra idéia, favor descrever no campo dos comentários.



Autor do texto e comentários: Gilson Carlos Pessanha          MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Visite e curta a minha página no facebook/GilsonEletricista