terça-feira, 4 de junho de 2013

Você se aceita ?

Olá amigos e leitores do Blog.

Vou compartilhar um trecho de um excelente artigo do escritor espiritualista Luiz Roberto Mattos, sobre a ¨Aceitação¨.

Se você gostou, acesse www.mestresanakhan.com.br e conheça os livros deste escritor.

Você se aceita ?
Hoje acordei refletindo sobre aceitação.

Tanto dos outros, como de nós mesmos.

Estava pensando em como cobramos das pessoas comportamentos e atitudes, sempre de acordo com nossos padrões e valores.

Queremos que os outros sejam iguais a nós.

Temos dificuldades em aceitar os outros como eles são.

Queremos moldá-los à nossa imagem e semelhança, como se nós fossemos modelos de perfeição.

E somos ?

Não, nenhum de nós é perfeito em absoluto.

Todos somos imperfeitos, e muito.

Todos temos qualidades, sim, mas também temos defeitos, temos várias limitações, vícios e virtudes, porque somos simplesmente humanos, seres em evolução.

É tão difícil aceitar os outros.

É tão difícil conviver com os diferentes de nós.

Isso porque nos consideramos o modelo.

Pura pretensão, pura vaidade e orgulho.

Jesus ensinava que devemos amar o próximo como a nós mesmos.

E para amar o próximo, o outro, normalmente diferente de nós, pois não somos clones uns dos outros, é preciso que nos amemos antes.

Quem não se ama não pode amar o outro, porque enxerga a vida e as pessoas com olhos embaçados, e muito condicionados na forma de amar limitada.

Amar a si mesmo passa necessariamente pela autoaceitação.

Se não nos aceitamos, como somos de verdade, não nos amaremos verdadeiramente.

E não poderemos, consequentemente, amar o outro, o diferente.

Aceitar-se implica em reconhecermos nossos defeitos, nossos condicionamentos, nossa ignorância, nossa impaciência, nosso orgulho, nossa vaidade, etc.

Deuses ou demônios ?
Aceitar o outro como ele é.

Isso é outra coisa importante, pois facilita muito as relações sociais.

Quando não aceitamos o outro, seja o irmão, o filho, o esposo ou a esposa, o colega de trabalho ou de escola, o vizinho, etc., tudo se complica e fica mais difícil, porque então passamos a cobrar do outro um padrão de comportamento que não é natural nele.

Procuramos transformar o outro em um outro ¨eu¨.

Mas não há um outro ¨eu¨ igual a mim.

Eu sou único.

Todos nós somos únicos, cada um à sua maneira, com seus defeitos e qualidades, vícios e virtudes.

Ninguém é perfeito, mas ninguém é o diabo.

Não somos nem deuses nem demônios.

Não somos anjos ainda, nem devemos ter a pretensão de sermos anjos, por hora, pois todos nós aqui neste planeta ainda temos uma longa jornada de aprendizado, de estudo, de vivência, até nos libertarmos de todos os nossos entraves evolutivos.

Aceitação não significa se acomodar !
Mas aceitar-se não quer dizer necessariamente acomodar-se no vício, nas limitações, etc.

Aceitar-se é reconhecer como somos de verdade, mas isso não afasta o esforço de mudança.

Aceitar-se apenas implica em não rejeitar a si próprio, em não odiarmos o que efetivamente somos por dentro.

A aceitação é uma atitude interior, da alma, que olha para dentro de si mesma e se reconhece como um ser cheio de defeitos e vícios, com qualidades também, e que não se revolta consigo mesma, não se maltrata por causa do que vê e não gosta dentro de si mesma.

A aceitação deve ser um movimento interno da alma na direção da evolução superior.

Precisamos nos aceitar de verdade, olhando diariamente para nós mesmos, num mergulho interior sincero e profundo, enxergando tudo o que temos dentro de nós, sem esconder absolutamente nada.

Quem tenta esconder seus defeitos para si mesmo acaba tendo que esconder também para os outros.

E isso gera um grande estresse para a mente...




Inspirational Comments
Visite e curta a minha página no facebook.com/GilsonEletricista

Nenhum comentário:

Postar um comentário